SWING PAULISTANO

ELE ESTOUROU MINHA ESPOSINHA

Preparei uma surpresinha para ela passei um e mail para o cara , vocês podem não acreditar mais o nome do cara era Ricardo um delegado de trinta e poucos anos boa pinta fiquei com um pouco de ciúme mais o tesão era maior , combinei com ele um dia de semana pois ele era casado e também era uma surpresa então falei para Bia que íamos jantar e depois ao motel como fazíamos 1 vez ao mês pedi para ela por um vestidinho preto que dei para ela colado com decote que os peitos dela pulavam para fora e se ela se abaixasse um poquinho que fosse aparecia a poupa da bunda de tão curto que era vestido e com um salto que ela ficou a verdadeira puta indo para boate fiquei louco de tesão fomos jantar tomamos duas garrafas de vinho na verdade tomei meia e ela tomou o restante queria que ficasse bebinha, na saída do restaurante passei numa sex shop e falei para ela que tinha preparado uma surpresa para ela ,não deixei ela entrar comprei uma algema e uma venda parei numa praça perto do motel pedi que ficasse só de calcinha no porta malas de algemas e uma venda, ia algema la com as mãos para trás ela me pediu para algema la na frente para ela poder bater siririca.

Ricardo me esperava na frente do motel como tínhamos combinado entrou no carro sem falar nada e o som estava alto mais a Bia desconfiou e me perguntou se estava tudo bem falei que sim, quando entramos que a garagem baixou meu coração foi na boca de tesão fui com ricardo fazendo sempre sinal de silêncio fui abrir o porta mala quando abri lá estava Bia deliciosa se masturbando algemada e vendada peguei ela no colo e levei para a cama e foi no sofá ao lado que sentei só para apreceiar ele começou beijando loucamente a boca dela ficou um bom tempo chupando o pescoço dela e mordendo o cangote enquanto dava umas cutucadas naquela bundona por cima da cueca naquela hora ela teve certeza que não era eu pois o pau do cara era o dobro do meu e ela estava sentindo ele na bunda dela foi aí que ela começou a gemer como nunca tinha visto e pediu para tirar a venda que ela queria ver, quando tirei até me assustei ela deu um pulo pra cima e começou a chupar o pau dele que nem louca engolia tudo nunca tinha chupado o meu daquele jeito ,já que ela já estava numa boa entrei para farra e fui chupa la enquanto mamava o pau gigante do Ricardão ela começoa a implorar para ele penetrar ele ficou uma meia hora comendo ela papai mamãe e beijando a boca dela ou melhor engolindo a boca dela a cama já estava toda molhada de suor quando eles tiveram um orgasmo louco que ela até mijou de tanto tesão quando ele tirou o pau dava pra ver o estrago que ele já tinha feito e a noite estava apenas começando ele tinha arrombado minha esposinha e quando vi que a porra dele escorria percebi que o estrago tinha sido maior a camisinha tinha estourado, mais na hora a merda já estava feita pulei para cima dela e dei umas dez estocadas e gozei não agüentei de tesão ,fui fumar um cigarro e eles fora tomar um banho quando entrei no banheiro já estavam eles engatados agora já sem camisinha embaixo do chuveiro ela gozou de novo e voltaram para cama ele pediu para comer o cuzinho dela na hora que ele falou ela virou de quatro que nem uma cadela ele ficou a noite inteira até clarear comendo o cuzinho pois a buceta ele já tinha estourado um vazinho toda vez que vi que ele gozou , fora a primeira vez ela engoliu tudinho foi a noite toda em todos ambientes do prive e eu me punhetando , o saldo da noite ela ficou uma semana sem sentar e a nossa relação ficou bem melhor afinal corno é corno feliz.

Your Ad Here

PUTARIA COM A NAMORADA NO SWING

Minha namorada e eu visitamos sexta passada um clube de swing.

Estava com tanto tesão que ainda a ciminho - no carro - já tinha tirado sua calcinha bem pequena de lado e enfiado meu em sua bucetinha deliciosa. Logo que chegamos, fomos direto às cabines com buracos, nossas preferidas. Minha rola já estava dura demais! Tirei seu vestidinho preto e sua calcinha - já toda molhada - e a deixei apenas com sua bota longa preta - como um verdadeira putinha...comecei a lamber cada parte daquele corpo delicioso...coloquei aqueles seios incríveis na minha boca enquanto massageava seu clitóris bem suavemente. Então, cai de boca naquela bucetinha linda...passava minha língua no seu cuzinho e subia até o seu grelo, várias e várias vezes...ela foi ficando louca e começou a gemer bem gostoso. Quando estava com bastante tesão, a putinha abriu os buracos da cabine e logo percebeu que dois caras já estavam loucos vendo aquela cena.

Ela então se deitou com a pernas bem abertas para que eu continuasse chupando seu cú e sua xereca, e colocou sua cabeça bem abaixo dos buracos. Não demorou para que as primeira mãos começassem a esfregar aqueles peitos deliciosos, em especial seus mamilos petrificados. Em seguida, uma rola surgiu bem em frente a seu rosto. Ela - que adora bater uma punheta enquanto chupo sua xota - começou a esfregar a pica em sua cara, louca para cair de boca. Uma segunda rola apareceu no segundo buraco e, com a outra mão, ela começou a bater bem gostoso.

Comecei a xupar mais forte e atolar, ao mesmo tempo, dois dedos em seu cú. Os gemidos aumentaram e rapidamente ela gozou bem gostoso...Então, a virei de quatro em direção aos buracos e enquanto ela chupava minha rola que já estava babando, eu abria sua bunda gostosa para que ela tomasse dedada - primeiro na xota, depois no cú. Fiquei louco de tesão com aquela cena e a coloquei de quatro para comer aquela bucetinha gostosa também. Enquanto fodia a putinha bem forte, ela esfregava as rolas - uma em cada mão - em sua cara. Logo, ela gozou de novo e com mais tesão ainda, enfiou os dois paus na boca, chupando os dois de uma só vez, que nem uma cadela. Pouco tempo depois, veio a primeira esporrada na carinha dela. A putinha esfregou bem a rola na cara e já começou a chupar com mais vontade a outra.

Nessa hora, tirei a rola da buceta e coloquei em cú apertadinho. Comecei a socar com força, e quanto mais forte eu bombava, com mais vontade ela chupava. Foi então que tirei a rola de seu cú e dei para ela bater. Quase que ao mesmo tempo, ela tomou mais duas esporradas, a minha no peito e a outra em sua boquinha. Enquanto ela esfregava toda aquela porra no corpo, comecei a dedilhar aquele cú arrombado e ela gozou gostoso pela última vez...

Your Ad Here



SEXO NA ENFERMARIA COM OS COLEGAS

Era Domingo à tarde, o serviço no hospital estava super parado. A equipe estava reduzida ao mínimo e no serviço estava eu, o Dr. Miguel e o Manuel um colega enfermeiro. Não havendo muito serviço, cada um de nós ia ocupado o tempo como podia. Eu lia um livro o Miguel dormitava e o Manuel estava no computador a navegar na net. A certa altura levantei-me e aproximei-me do Manuel que não me ouviu chegar tão concentrado estava. Olhei para o computador e vi que estava a ver uns filmes porno.

Fiquei imediatamente excitada e levei a mão ao meio das pernas. O Manuel ia-se masturbando por cima das calças sempre sem dar por mim. Passado um bocado deu pela minha presença e vendo o que eu estava a fazer sorriu e com um gesto de cabeça chamou-me para o seu lado e abrindo a bata e as calças expôs o pau que estava duro como aço. Eu já estava perdida e sem pensar duas vezes ajoelhei-me e comecei a beijar aquele belo membro arrancando-lhe gemidos de prazer. Trocamos de lugar e sentei-me na cadeira de pernas abertas expondo a minha cona para ele, pedindo-lhe para me lamber o que ele fez com gosto, alternado longas lambidas com penetrações de língua e dedos. Não demorou para que me viesse na sua cara lambuzando-o todo. Levantei-me e sentei-me na beira da secretária fazendo-lhe sinal para me foder.

Tinha acabado de me penetrar quando levantando os olhos vejo o Dr. Miguel na porta a olhar para nós, face ruborizada e um grande volume nas calças. Nem pensei duas vezes, já tínhamos sido apanhados e eu estava cheia de tesão, pelo que o chamei e sem perder tempo comecei a mamá-lo. O seu pau era diferente do do Manuel, maior, muito maior, mas mais fino. Devia ter uns 22 cm contra os 16 do Manuel, mas o do Manuel era o dobro em diâmetro. A posição em que nos encontrávamos não era muito cómoda, pelo que fiquei de quatro e desta forma conseguia chupar o Miguel enquanto o Manuel continuava a foder-me com estocadas fortes. Não demorou para que o Miguel me enchesse a boca com o seu leite enquanto o Manuel se vinha dentro de mim. Talvez pela situação em que nos encontrávamos os dois continuaram erectos e eu continuava excitadíssima pelo que sentei o Miguel na Cadeira e sentei-me em cima dele.

Enquanto o cavalgava os dois iam-me chupando as mamas levando-me à loucura, e mais uma vez chupei o grosso pau do Manuel aproveitando para sentir o seu sabor misturado com o meu. Estivemos assim durante mais um bocado quando o Miguel disse que queria comer-me por trás. O Manuel sentou-se dando-me o pau para mamar e eu fiquei de quatro sentindo as vigorosas investidas do Miguel que com o seu comprido pau me faziam ver estrelas e me levaram ao orgasmo. O cheiro a sexo pairava no ar, a excitação sentia-se e de repente sinto o Miguel penetrar-me no cu. Foi uma penetração fácil pois apesar de comprido não era grosso e quando dei por mim sentia as suas bolas a baterem-me na cona. “Quero sentir os dois” disse num gemido. Pedi ao Manuel para se deitar no chão e enfiei o seu grosso pau na cona.

Quando me senti encaixada debrucei-me toda sobre ele e com as mãos abri bem o cu convidando o Miguel para me penetrar novamente o que ele fez sem demora. Fui às nuvens ao sentir os dois paus dentro de mim. Que sensação, Estava cheia como nunca tinha estado e não demorei para me vir, uma duas, três vezes e quando já estava sem forças sinto os dois a vir-se quase em simultâneo dentro de mim o que me fez vir mais uma vez com uma força tal que me desencaixei dos dois ficando deitada no chão a tremer com esporra a sair do cu e da cona.

Estávamos os 3 todos suados e cansados. Arranjamo-nos o melhor que pudemos e fomos aos nossos afazeres como se nada se tivesse passado, mas sabíamos que nunca mais as coisas seriam iguais entre nós.

Your Ad Here



PRIMEIRA VEZ NO SWING

Me chamo Janaína e tenho 30 anos. Sempre publiquei as minhas aventuras e experiências. Resolvi contar agora a vocês do site “casa dos contos eróticos”
algumas de minhas histórias.
A MINHA 1° VEZ NO SWING
Sempre tive muita vontade de ir ao swing (mais curiosidades na verdade). Quando tinha 26 anos, completei 2 anos de casada e fomos comemorar em um bar com os amigos.
Foi uma bebedeira só! Lá conversamos sobre vários assuntos, mas um deles despertou mais ainda a minha curiosidade: o tal do swing. Um amigo do Sandro (meu marido) nos contou que tinha ido á uma boate de swing com uma garota de programa e disse que rola de tudo lá e que é muito ‘divertido’. Nem precisa falar o quanto isso despertou mais ainda a minha curiosidade...
Ao chegarmos em casa conversamos sobre o assunto, contei a ele sobre a minha vontade de ir ao swing. Ele perguntou se eu estava bêbada (rsrsrsrs). Expliquei q sempre tive essa fantasia e que depois que o amigo dele falou como era, tive mais vontade ainda. Sandro desconversou mas acabo aceitando. Ele disse que íamos só pra ver como era e nada mais. Coitado do Sandro! Se ele soubesse que depois da 1º vez ele ia voltar milhares de vezes...
Bem, dias depois, lá fomos nós saciar meu desejo. Foi em uma daqui do Rio, bem longe da minha casa. Era uma boate como as outras: ao se entrar se vê uma pequena recepção, logo depois uma pista de dança, várias poltronas espalhadas e um barzinho para os casais se conhecer.
Entramos de mãos dadas e olhamos o ambiente. Até aquele momento nada de mais: casais dançando, bebendo e conversando. Sentamos no barzinho e pedimos dois drinks. Dava pra ver a cara do Sandro de ‘não acredito que to aqui’. Logo veio um casal e sentaram ao nosso lado. Um homem moreno, estatura média, com um físico legal aparentava uns 30 e poucos anos e uma mulher também morena, com cabelos longos e um bronzeado de chamar a atenção, mas parecia ser mais nova que o homem.
Eles começaram a nos olhar. Quando percebi, fiquei até sem jeito. Aí o moreno disse ‘oi’. Como sou educada, o respondi. Daí pra frente o assunto rolou... até chegarmos ao que realmente interessa: ‘aceita um swing?’ (não foi exatamente o que eles disseram, estou resumindo). Olhei para a cara do Sandro e sem esperar ele dizer nada, disse ‘sim’.
Acho que eles perceberam que era a nossa 1º vez ali, por isso nos trataram com muita atenção e calma. Muita calma.
E lá fomos nós cruzando a ‘porta do prazer’ que nos levava a área da orgia. Ao passarmos por ela parecia que entramos em outro mundo! Um corredorzinho super apertado que nos obriga a ficar relando nos outros (nada mais excitante do que ficar relando em uns pintos duros, não é? rsrsrs). Ao ir mais fundo nos corredores fui ficando ainda mais excitada: homens com fecho da calça aberta com aqueles enormes (nem todos) pintos pra fora, mulheres chupando vários homens ao mesmo tempo, gemidos altos e abafados... Uau! Fiquei com a calcinha toda molhadinha só com essas cenas!
Tínhamos 2 opções: ficávamos numa área ‘aberta’ onde vários casais trepavam ao mesmo tempo ou ficávamos em um quarto ‘reservado’ só os quatro. Como eu era ‘tímida’, resolvemos ir para o reservado. Chegando lá, o casal que estava conosco (vamos chama-los de Cínthia e Lúcio) começaram a se dar uns amassos bem calientes. Apesar do ambiente ser escuro, dava para ver aquelas mãos enormes dele apertando a bundinha da Cínthia, separando as duas bandas. Logo ele foi tirando a roupa dela (com uma habilidade de dar inveja) e abocanhando os seus seios (não eram muito grandes mas eram lindos e suculentos). Ele os chupava com tanta vontade que ela dava uns gemidinhos que o deixava mais louco ainda. Lúcio foi descendo com seus lábios pela barriga dela, até chegar na sua bucetinha que estava encharcada de prazer.
Achei que já tinha chegado a hora de parar de ficar olhando e partir para o ataque. Aquela cenas já haviam desinibido totalmente meu marido que logo foi metendo aquela língua quente na minha boca e deslizando suas mãos por todo meu corpo, estas que tiravam a minha roupa. Ele acabou caindo de boca em meus seios também (adoro meus seios, são de um tamanho ótimo, que se encaixam perfeitamente nas mãos do Sandro) enquanto uma de suas mãos roçavam meu grelinho.
Enquanto isso, o outro casal estava pegando fogo: depois dele ter chupado a Cínthia, ela retribuiu caindo de boca nele. Reparei que o pau dele era bem mais grosso que do meu marido, o que me excitou ainda mais. Depois da chupada, Cínthia cavalgou na pica dele. Ela gemia muito alto! Confesso que isso me fez sentir mais solta.
Eu e Sandro resolvemos fazer um 69 para aquecer a transa. Gente, nunca tinha visto o pau dele tão duro daquele jeito! Acho que aquela situação toda estava excitando-o cada vez mais... fiquei de quatro pra ele e ele veio com tudo por trás. Resolvi imitar minha amiga e comecei a gemer alto. Pra falar a verdade, o Sandro não me fez gozar naquele dia, porque eu queria mesmo era dá pro Lúcio. Estava de olho nele e a hora estava chegando...
Sandro não demorou muito para gozar. Enquanto nós esperávamos o casal gozar, fiquei punhetando o Sandro, para não deixar o pau dele amolecer. Finalmente o Lúcio gozou. Saiu tanta porra do pau dele que pensei que não sobraria pra mim...rsrsrsrs.
Chegou a hora que tanto esperava: A troca!
Lúcio veio e me pegou com delicadeza e me colocou deitada sobre o sofá. Ele começou me beijando e logo foi chupar meus seios. Eu só ficava passando minhas mãos em seus cabelos enquanto ele os chupava. De vez em quando ele dava umas mordidinhas que me deixavam cada vez mais molhadinha. Para me deixar mais louca ainda, ele começou a lamber minha xoxotinha. Ele abriu com seu dedos e enfiou a língua lá dentro, ia e voltava bem gostoso, sempre passando no meu grelinho. Nossa! Que sensação maravilhosa, indescritível. Acabei gozando na boca dele. Resolvi retribuir: me ajoelhei e comecei a chupar o pau dele. Fiz o meu melhor, enquanto uma mão minha apertava a bundinha dele, a outra acariciava as bolas e a minha boca ia e vinha em seu pau. Ora sugava com mais força, ora ia mais rápido ou mais devagar, ora lambia a cabecinha dele. Parei. Fui beijando seu corpo até chegar na boca. Cheguei ao seu ouvido e disse: ‘me fode agora...vai’ e ele respondeu com aquela cara de safado ‘seu desejo é uma ordem cachorra’, com essa cachorra fui ao delírio.
Fiquei na posição de frango assado. Ele foi pondo a pica dele aos poucos, no começo ele meteu devagarzinho, muito gostoso. Logo foi aumentando a pressão. Via aquele pau brilhando com a minha lubrificação. Olhava-o bem nos olhos. Dava pra ver a cara de prazer dele. Comecei a dizer umas sacanagens no ouvido dele, que o fez delirar mais ainda. Nossa, nem sei como descrever a sensação de ser comida por outro homem e seu marido vendo tudo. Incrível!
Nem vi como foi a performance do Sandro. Estava tão focada em meu prazer, que esqueci de tudo em minha volta.
Lúcio pediu pra eu mudar de posição. Fiquei de quatro pra ele. Ele engatou na minha buceta, de uma forma bem mais violenta que antes. Ele colocava e tirava todo o pau dele, de um jeito alucinante. Enquanto ele metia em mim brincava com meu cuzinho. Eu que não dei mais liberdade, se não ele teria o arregaçado.
Quando fui ver, Sandro e Cínthia já estavam separados. Eles já deviam ter gozado.
Fiz um sinal pro Sandro pôr o pau dele na minha boca. Nada melhor que ser comida e chupar ao mesmo tempo. Um ia e o outro vinha. Que movimentos sincronizados...rsrsrs!
Enquanto isso, Cínthia ficou só olhando, tocando uma siririca. Lúcio perguntou se podia gozar no meu cuzinho. Como não sei dizer não (rsrsrs) falei que podia sim. Ele começou a meter mais rápido, que me fazia gemer ainda mais, mal dando conta de chupar o Sandro. Nisso gozei pela 2º vez. Quando Lúcio ia gozar, tirou o pau da minha buceta, arrancou a camisinha e gozou bem no meu cuzinho. Senti a porra dele escorrer até a minha buceta. Que delícia!!!
Não demorou muito o Sandro logo gozou na minha boca. Saiu pouquinha porra, afinal, ele já havia gozado 2 vezes naquela noite. Depois da orgia, conversamos um pouco, fomos ao banheiro nos limpar, nos despedimos e fomos embora.
Perguntei ao Sandro o que ele achou da noite. Diz ele que foi maravilhosa e que queria voltar mais vezes. Caímos na risada. É claro que voltamos outras vezes e muitas outras coisas aconteceram... mas ai já são outras histórias!
E essa foi a minha 1º vez no swing. Não foi tão boa como as outras vezes, mas foi inesquecível pra mim. Aguardem que voltarei com outras histórias melhores que essas.
BEIJINHOS!!!

Your Ad Here

 EU MINHA ESPOSA E O SWING
Minha esposa e eu nos amamos muito.
Nossa história é real e deve ser lida por pessoas o bem que desejam variar.
Depois de um certo tempo, uns dez anos de casados, começamos alguns brincadeiras... Compramos roupas sexy e brinquedos. Tínhamos dois vibradores , para dizer a verdade eu tinha o sonho absurdo que ela me obrigasse a deixá-la introduzir em mim, mas logo me envergonhava só de pensar nisto, pois sou hetero convicto.
Sonhava que ela dissesse assim: _ Se você não deixar ao menos eu tentar enfiar em você, também não deixo mais você fazer em mim..
Aí eu relutaria por um ano, para deixar claro que não é certo, e finalmente a deixasse por ao ter outra saída...
Certo dia ela simplesmente me lubrificou, me seduzi u e introduziu em mim... foi um tanto desconfortável, mas foi muito excitante.
Hoje ela me possui a hora que deseja, e o que era um excitante desconfortável, ficou confortável e praticamos regularmente.
Acreditava que tínhamos atingido o auge da sacanagem, dentro do amor e o respeito... doce ilusão...
Nós sempre brincamos de imaginar coisas absurdas, que nunca vão acontecer. Por isto mesmo escachamos nas besteiras, pois não somos admiradores de orgias e libertinagens, sendo vistos apenas em filmes eróticos. , também não somos santos. Mas sabemos os limites.
Dentro de nossas fantasias dos momentos íntimos, ela sempre brinca, bem na hora que estou muito excitado, ela sugere estarmos com um belo casal, o homem a come na bunda, uma bela bunda por sinal, e nessa hora ela adora e sorri com muito prazer pra mim...
Ela descreve uma cena aonde a mulher faz oral comigo gostoso, e ela faz no homem. Atinjo o gozo na mesma hora, é loucura..
Tudo isto é irreal e um tempero ótimo, simplesmente pela segurança nossa, protegidos em casa, e por nos amarmos e ter um lar sólido e três filhos.
Fomos passar um fim de semana em uma cidade turística, fazia tempo que queríamos, mas a vida não é fácil, somos classe média padrão e o dinheiro ...
À noite, a dona da pequena pousada nos convidou para ficar na sala, onde havia uma TV e outro casal assistindo um filme.
Nos conhecemos e conversamos muito. Um casal legal, alegre e contamos os nossos dia a dia. Eles viajariam no dia seguinte. Minha esposa e a esposa do Mario (nome fictício) foram ao nosso quarto ver os bordados que ela tinha comprado e ficaram uma hora, mulheres e seus bordados...
Nos despedimos e voltamos ao nosso quarto. Percebi minha mulher tensa e ansiosa... Ela desabafou que o outro casal se parecia muito conosco, inclusive brincavam de narrar cenas de swing como nós.
Fiquei comum vazio na hora, um grande desconforto e fui para cama.
Ficamos deitado em silêncio. Minha cabeça fervilhava, quando ela disse que ambas estavam dispostas a se reunir e ver o que rolava.
Mulheres...
Mario era simpático e boa pinta, Heleny (nome fictício) era um tesão tipo pequena . Regulavam 40 anos de idade.
Tive uma idéia: Sugeri um encontro apenas para uma troca de assunto sobre swing. Minha mulher aprovou ligou para eles vir ao nosso quarto dentro de 20 minutos.
Fomos tomar banho e minha esposa me questionou porque estávamos tomando banho de novo!? Era só para papear RS.
Eles chegaram, começamos a conversar sem medos, dividir nossas fantasias... Foi mito prazeroso, pois eles também nunca se propuseram a fazer, como nós, os mesmos medos, os mesmos desejos e as mesmas curiosidades... Na brincadeira nos elogiamos, elogiei a Heleny, disse que ela era sensual e deveria sem prazeroso transar com ela... Minha esposa aproveitou e disse o que talvez quisesse dizer desde o primeiro momento:
- A é assim, então saiba que deve ser bom demais dar para o Mário ?se dirigindo a ele? . Todos sorrimos, porque não havia clima de perversidade e comecei relaxar.
Na hora de nos despedir, brinquei:
O que fazemos agora?
Todos riram baixinho e minha mulher sugeriu:
-Vamos apagar a Luz!
Ficou tudo escuro, e quando foi se formando a silhuetas no quarto notei minha esposa e Mario se tocando, foi estranho mas logo comecei beijar Heleny,
Por algum tempo tentei me concentrar no que estava acontecendo, fique tenso, ela percebeu e disse que se sentia assim também e comecei a retomar o clima.
Olha, foi muito estranho, ora me excitava e ora perdia o clima, mas Heleny sussurrou para não demonstrarmos o que rolava conosco na hora, para não ficarmos por baixo, mesmo porque minha esposa parecia estar transando, sentada no colo dele, perguntei:
- Eles estão sem roupas?
Ela também não sabia, e nos beijamos para nem querer saber.
Mas queríamos saber...
Minha esposa sussurrava do mesmo modo como fazia comigo, já estariam sem roupas? Ou estavam nas preliminares?
Na o queríamos ficar tentando olhar, pois estava escuro.
Nos levantamos e fomos tomar um vinha na sala ao lado. Ascendemos o abarjour e começamos novamente.
Heleny começou a fazer oral em mim, My Good, isto ela era mestre. Nos descontraímos... Creio que batemos sintonia no oral. Minha esposa chegou nua bem lentamente, falou baixinho:
- Vim pegar o vinho, e voltou...
Ficamos ali uns dez minutos em cima do sofá e comecei a fazer oral nela ? modéstia parte, é onde me sinto mais garantido, uma vez que meu pênis é tamanho médio e sei que elas se impressionam com isto. Ela gostou, sei disso, tanto se que minha esposa e Mario fizeram silêncio para ouvir os suspiros de Heleny.
Demos uma pausa técnica, ele me beijou muito e gostou do carinho que fiz. Me senti seguro. Voltamos para o quarto , porém deixamos o abarjour aceso para ver o que rolava.
Transamos bastante e pedia ela para fazer no bumbum. Ela consentiu, só pediu que eu tivesse carinho , pois ela era miúda e delicada. Enfiei na bunda dela gostoso, fiquei uns 10 minutos .
A essa altura já dava para ver o quarto e o que rolava. Para ver com detalhes não dava muito bem.
Vi minha esposa fiar de 4 enquanto Mario se ajeitava. Não fiquei olhando fixo, mas percebi que ele estava com dificuldade para se posicionar, talvez , enquanto ela esperava com o rosto virado para o outro lado, acho que ela sabia que eu estava comendo a bunda da Heleny... sei lá.
Minha mulher falava baixinho: - Devagar... aí aí, devagar...
Heleny e eu começamos a transar de lado, aí poderíamos ver bem nossos parceiros.
Definitivamente começaram a transar de 4, eu via ele tirar e enfiar sem parar, até ouvia bater o pélvis dele contra a grande bunda dela ela. Heleny cochichou comigo que fazia anal com o Mario pouquíssimas vezes, porque o pênis dele era muito grande. E não rolava mesmo, de vez em quando só brincavam.
Olhei fixamente e pude ver,não claramente o pintão dele entrando e saindo, mas não podia ser , era muito grande mesmo. Deduzi que a minha fantasia de ver minha mulher ser enrabada não seria dessa vez.
Ficaram transando por uns 15 minutos sem parar. Ela gemia de um modo diferente ,certamente para me provocar... parecia uma égua.
Ele gozou nela, pois a hora que pararam eles se limparam.
Começamos a rir sem graça e constrangidos.
De relance vi o pinto dele mole, era um animal, desproporcional.
Entendi o gemido dela, como era que ela agüentou... Ela é grandona.
Eles se retiraram carinhosamente, nos despediríamos cedo.
Fomos tomar banho e conversar sobre.
Minha esposa pedi u um oral igual ao que fiz em Helleny ? mexi com a vaidade dela rsss.
Fiz o que ela ordenou, ela disse que foi a melhor chupada da vida dela. (era o clima rs).
Ela me perguntou se minha fantasia foi bem realizada?
Eu disse que sim. Ela afirmou que fez aquilo por mim.
Eu agradeci o esforço: - Vi o pau dele, imagina aquilo na bunda?
A Safada desabafou: _ Amor, aonde acha que ele botou?
O que??? Deixa eu ver isto!
Coloquei ela de 4 e meti na bunda dela. Estava literalmente arrombada, bem laçeado mesmo, como nos filmes pornô.
Devo admitir que Foi tão excitante quanto estranho. Ela me confessou que o Mario é muito carinhoso , mas também titubeou bastante. Todos nós vacilamos e houve um momento que e ela queria sumir... e reaparecer..
Foi tão natural que faz 6 meses. Quando fazemos amor narramos detalhes do que houve... é delicioso.
Vamos nos encontrar em dezembro, vai ser melhor,.
Nosso amor está Show, nos amamos muito mais. Creio que tivemos sorte.
Pra nós, só se for como rolou, pois teve respeito e não libertinagem.
Vai de encontrar parceiros certos.

Your Ad Here



NOVO CORNO NA PRAÇA
 Amigos vou tentar relatar a vcs todo tesão que tenho sentido desde que descobri esse meu lado de marido submisso compreensivo.
Minha esposa chama-se M. 1,.6_ de alt. 60kgs. Olhos castanhos claros, cabelos na altura dos ombros, e loirinha, desde que nos conhecemos ela sempre foi muito recatada, mulher seria de família rígida, mas quem a vê com olhos críticos percebe o vulcão de mulher que ela é transmite sensualidade e desejo no olhar.
Eu me chamo T. 1,7_ de alt. 75kgs. Olhos e Cabelos castanhos, dote normal, no inicio também era recatado, mas na cama rolava sexo quente mas nunca rolou por exemplo um anal, nem sei dizer ao certo porque, mas com os anos de casamento e filhos, percebi que começou a faltar algo que desse um temperinho especial ao nosso relacionamento que agora não passava de familiar, rolava sexo, mas faltava algo, ai comecei a navegar na internet, que é super confidencial nesse ponto podemos ver qualquer coisa que ninguém fica sabendo RS. E passei e ver casais que se exibiam em fotos explicitas, e ai encontrei os relatos eróticos, que no inicio achei muito louco, não imaginava que tudo aquilo realmente era real, mas com o tempo fiquei fã incondicional dos relatos, e comecei a conversar com M. durante nossas transas, ela se mostrava receptiva mas qdo terminávamos ela dizia que não tinha coragem que tinha medo de minhas reações no depois de acontecer algo, e ficamos assim, até que um relato me chamou atenção em especial era de um homem, que se relacionava a tempos com um casal, e ai eu tomei coragem e como havia email no final do relato, escrevi um email para ele mas confesso que não esperava resposta alguma, mas após uns dois dias vi que tinha recebido resposta do email que eu havia enviado, e daí passei a conversar com ele e passamos a conversar por MSN, falei de minhas fantasias que eram muito parecidas com a experiência que ele havia descrito. Contei a ele que meu maior tesão era saber que minha linda e amada esposinha estava dando para outro que estava sentindo a dureza de um outro pau que não o meu e que de preferência fosse maior que o meu e grosso. E assim fomos ficando mais íntimos, falava para M. sobre esse amigo, mostrei o relato dele para ela, e passei o MSN dele para ela se quisesse adicioná-lo para conversar, logo ele me contou que ela o adicionou e conversaram bastante, e sempre que conversavam ele me contava o progresso dela em sua fase de liberação.
Passei a notar que quando transávamos eu tocava no nome de nosso amigo S. ela ficava mais fogosa que o normal, e só de saber que havia alguém seduzindo-a já me deixava louco de tesão, os olhos dela passaram a ter mais brilho que antes(acho que o tesão faz isso com as pessoas).
Cada vez que ele conversava com ela no MSN a minha noite era maravilhosa, ela se abria toda para mim.
Nesse meio tempo, ela foi se liberando e agora passando a aceitar investidas discretas dos homens o que antes ela repelia até que certo dia ela me falou que um amigo havia mexido muito com ela, e me confessou que ficou louca para transar com ele Então eu perguntei se não tinha rolado nada entre eles até agora, e ela meio sem graça disso que havia rolado uns amassos rápidos dentro do carro numa rua tranqüila, e logo confessou acabou pegando no pau dele e que diante daquele pauzão acabou fazendo um boquete para ele, que não se conteve com a gostosa mamada que ela deu e gozou em seu rosto e peitos, ela delirava de tanto tesão por ter me contado e eu estar feliz com ela, tanto que acabamos por transar ali no meio da sala, nem nos lembramos que as crianças poderiam chegar a qualquer hora RS.
Logo dei carta branca para ela sair com ele, ela encontrou com ele mais duas vezes onde o boquete se repetiu e ela chegava me contando td.
Já na semana seguinte ela estava se arrumando toda, perguntei onde ia e ela me disse “hoje vou sair com Nosso amigo” daí ajudei ela a escolher uma calcinha tipo fio dental, salto alto sutiã que combinava com td e na saída dei um beijinho dela e disse se divirta muito, e ela me sorriu e falou “Te Amo” e saiu.
Ela saiu e eu fiquei louco de tesao, corri para o computador, ver fotos dela de biquíni e algumas outras que eu tinha dela nua, e fiquei ali imaginando o cara possuindo-a de todas as formas.
Ela chegou já eram mais de 3hs da manha, sorridente batom borrado maquiagem toda borrada também, e já imaginei que a noite devia ter sido ótima.
Logo fomos para a cama, e ela começou a me relatar o que aconteceu:
Encontrei ele no barzinho tomamos um drink pra relaxar, e assim que ele tocou minhas mãos percebendo que eu estava quente me convidou para sairmos dali, o que de imediato topei, já no carro nos atracamos beijamos como namoradinhos novos, ele começou a correr suas mãos pelo meu corpo todo, e eu comecei a retribuir suas caricias logo chegando ao seu pau por cima da calça e percebi que era exatamente o que eu queria RS. Não muito grande mas grosso. Com dificuldades chegamos ao motel pois não parávamos com nossas caricias, entramos tão cheios de tesao que começamos a nos despir, ele tirou minha blusa, e minha saia, enquanto eu tirei sua camisa mais alguns amassos, chupadas, ele não se conteve qdo viu meus seios bicudos, passou a mamar como um nenezinho neles, me levando as nuvens de tanto tesao que senti isso eu já havia aberto o zíper da calça dele e estava com aquele pau maravilhoso em minhas mãos, e dei um jeitinho e passei a chupar aquele pau delicioso me sentindo uma puta sim uma putinha safada que estava com o amante no motel enquanto o maridinho ficava em casa vendo TV me esperando voltar.
Consegui tirar a calça dele e ele já se livrou dos sapatos meias ficando completamente nu para mim, agora eu estava deitada e ele entre minhas pernas chupando deliciosamente meu grelinho que tanto tesao sinto nele, me levou a loucura acho que gozei umas 3 vezes assim sem ser penetrada ainda.
Ai pensei que já estava na hora de dar mais prazer a ele, então o puxei e ele se posicionou e ficou um pouquinho brincando com a cabeça do pau no meu grelinho, e qdo percebeu que eu estava molhadissima, encostou a cabeça do pau no meio da minha bocetinha fazendo uma leve pressão e seu pau começou a escorregar para dentro aiii, parecia que a cama estava girando, a tempos não sentia tanto tesao assim, suas bolas encostaram em mim como que avisando pronto já entrou tudo, ele segurou fundo por alguns segundos e logo começou um vai e vem super gostoso, depois me pos de ladinho me comendo assim, segurando meus peitos acariciando e chupando ao mesmo tempo que delicia de homem, logo me colocou de quatro e segurando firme em minha cintura me comeu mais uns 10 minutos assim socando fundo e forte, ai eu não agüentei mais e pedi para ele se deitar e fui por cima dele e comecei a cavalgar seu pau esfregando o meu grelinho nele como vc sabe que eu adoro fazer, e ao mesmo tempo ele acariciava meus peitos me chamando de gostosa safadinha eu sorria e curtia aquele momento delicioso chamando ele de meu macho gostoso ele me dizendo que me queria todinha e eu falava que ia dar pra ele td que ele quizesse que seria todinha dele sempre que ele quizesse, ele anunciou que não estava agüentando mais que iria gozar que queria gozar dentro de mim bem La no fundo, eu não resisti e pedia isso me enche com sua porra me lambuza todinha e comecei a gozar antes mesmo dele começar que delicia, quase desfaleci sobre ele, ficamos assim algum tempo até seu pau escapar de dentro de mim e aquela porra toda ir escorrendo pelas minhas pernas e sobre ele também.
Conversamos um pouquinho e o chamei para uma ducha rápida e La brincamos muito sob o chuveiro, ele acariciava meu bumbum dizendo que era delicioso, e eu ria e falava nem vem que não tem RS. Ele me ensaboou todinha e acabou dando um carinho todo especial na minha bundinha nunca pensei em que apenas umas caricias assim fossem capas de dar tanto tesao RS. Ele me dizia que ainda ia comer minha bundinha pois eu mesma disse que seria todinha dele.
Voltamos para o quarto ele veio por cima de mim, seu pau estava meio mole meio duro, começou a brincar com ele nos meus peitos, e eu estava adorando, que homem maravilhoso, demorou mas escolhi bem RS. Acabei chupando ele mais um pouco e ele ficou duro de vez, ele se sentou na beira da cama me puxou sobre ele nos encaixamos perfeitamente e mais uma vez meu grelinho ficava esfregando nele hummmmm vc sabe bem que não resisto muito assim, comecei a gozar como louca, e ele falava baixinho no meu ouvido que eu era maravilhosa que sou muito safada e putinha gostosa que sempre que me via ficava de pau duro, isso tudo me deixava com mais tesao ainda, e eu o chamava de meu macho safado que ele me dava muito tesao que ia querer dar pra ele sempre, que não ia mais conseguir ficar sem ele nossa que loucura gostosa. Mais uma vez ele acabou gozando gostoso dentro de mim, nos beijamos ficamos mais um pouquinho nos curtindo e resolvemos ir embora pois já era tarde, mas como premio ao meu maridinho eu não tomei banho voltei pra casa de saia sem calcinha com a porra do meu macho escorrendo pelas minhas pernas pra chegar em casa mostrar pra vc meu corninho que tanto amo.
Esta foi a primeira vez que sai com meu amante, depois descreverei as outras que foram deliciosas uma melhor que a outra, inclusive que passei a fazer anal com ele mas não permito que o meu corninho faça.

Your Ad Here

Categories:

Leave a Reply